terça-feira, 2 de março de 2010

Material Dourado

O USO DO MATERIAL DOURADO NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

O uso do material dourado em sala de aula


Introdução:

O “Material Dourado” foi criado por Maria Montessori (1870-1952), primeira mulher na Itália a formar-se em medicina. Quando encarregada da educação de crianças com deficiências, verificou que elas aprendiam mais pela ação do que pelo pensamento, desenvolveu então um método e material apropriado de ensino. Sua experiência foi muito bem-sucedida e Montessori concluiu que método semelhante poderia ter êxito com crianças normais.
O Material Dourado Montessori destina-se a atividades que auxiliam o ensino e a aprendizagem do sistema de numeração decimal-posicional e dos métodos para efetuar as operações fundamentais (ou seja, os algoritmos).
No ensino tradicional, as crianças acabam "dominando" os algoritmos a partir de treinos cansativos, mas sem conseguirem compreender o que fazem. Com o Material Dourado a situação é outra: as relações numéricas abstratas passam a ter uma imagem concreta, facilitando a compreensão. Obtém-se, então, além da compreensão dos algoritmos, um notável desenvolvimento do raciocínio e um aprendizado bem mais agradável.
O Material Dourado faz parte de um conjunto de materiais idealizados pela médica e educadora italiana Maria Montessori.
O nome ”Material Dourado” era conhecido como “Material das Contas Douradas” pois inicialmente a sua forma eram contas douradas e que hoje temos como no desenho abaixo:




O material multibase, também conhecido como material dourado, pode ser usado para explorar a estrutura do sistema de numeração; os algoritmos associados às quatro operações básicas (adição, multiplicação, subtração e divisão) com ênfase no procedimento de agrupamento; conceitos geométricos (perímetro, área, volume, etc.); e vários princípios algébricos fundamentais.

Jogo - Ganhando um bloco

Para este jogo são necessários: material multibase (qualquer base) que constituirá o banco e um dado. Podem participar do jogo dois ou mais alunos.

Procedimento:

Em cada rodada os alunos lançam o dado e pegam do banco tantas unidades quanto indica o número na face superior do dado. Os jogadores fazem a troca: unidades por barras, barras por placas e placas por cubo.

Vence o primeiro que tenha conseguido um cubo.

Responda:

– Qual é o menor número de lances necessários para ganhar uma barra? E uma placa? E um cubo?

– Qual é o maior número de lances necessários para ganhar uma barra? E uma placa? E um cubo?

– É possível obter uma barra no primeiro lance do dado?

– Qual é a chance de obter pelo menos uma barra no primeiro lance do dado?

– É possível obter duas barras no primeiro lance do dado?

Alterações no jogo

1. Usando dois dados. Os alunos pegam do banco as unidades resultante da soma dos números que aparecem na face superior dos dados.

2. Usando três dados sendo dois de cores diferentes. Os dois dados de mesma cor indicam o número de unidades que serão retiradas do banco e o outro dado indica o número de unidades que serão devolvidas ao banco. Com esta modificação na regra, o aluno poderá desfazer as trocas de placas por barras e de barras por cubos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário